Nelson Freire

Um filme ruim sobre um artista fenomenal. Salles parece ter gravado alguns rolos de fita, entrado em uma sala de edição, e feito uma compilação de momentos passáveis. As cenas parecem ter sido jogadas dentro de um balaio, e não se consegue notar a existência de algo parecido com um roteiro. Existem alguns poucos momentos memoráveis, mas eles não sobrevivem ao tédio confuso que o conjunto provoca.

::

Aproveitando o embalo, resolvi escrever sobre pequenas lembranças recorrentes. Aqueles fatos que não são realmente importantes, mas que, por algum mecanismo obscuro da lembrança, se infiltram em nossas memórias.

Exemplo um: meu pai contou a história de um primo dele. O tal primo estava caminhando por uma roça, e atirava o facão ao chão enquanto caminhava, e arrancava-o do chão depois de alguns passos. Ele tinha esse costume, até que um dia, distraiu-se, e deu um passo contra o facão no chão. Isso provocou a entrada da lâmina entre os dedos do pé.

Bom, não sei quem é esse tal primo, e duvido que meu pai lembre de ter me contado essa história. Talvez fosse até mesmo, uhm, ficção, vai saber.

Exemplo dois. Quando eu estudava violão, costumava ir para casa acompanhado de meu valente Gianinni Trovador, e de uma menina chamada Genevieve. Ela era uma daquelas meninas pentelhas, que costumam esculhambar a vida dos meninos de onze anos, com uma mistura de chatice complexa e beleza simples.

O nome dela sempre surge na minha memória, e eu fico pensando que deveria ter casado com ela. Talvez pelo nome, uma das coisas mais lindas que já ouvi. Talvez por alguma coisa que ela tenha dito, o que obviamente, eu miseravelmente esqueci.

Deve haver mais um monte destas bobagens morando no meu sótão, esperando um exorcismo, que pode ocorrer por estas linhas digitais. Todavia, vou poupar vossa paciência. Apenas hoje.

Anúncios

Sobre gilvas

Pedante e decadente, ao seu dispor.
Esse post foi publicado em Cinema Mercosul, Impressões e marcado , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Nelson Freire

  1. Conano disse:

    Chorei, sorri. Esse filme mexeu comigo.

  2. Flávia disse:

    Oi nêgo!!

    Saudades viu…. estou praticamente sem acesso a grande rede, mas logo que tive a possibilidade estou aqui pra deixar meu recado. Ainda não curti nadinha, só estou me preocupando….mas acredito que tudo dá certo no final, caso contrário, não é o final, hehehehehe…..

    um bjo pra vc. Manda um bju pro pessoal do P&D aí da Reivax, estou com saudades de vcs!!!

    Flávia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s