Numa Noite Chuvosa

Hermanos Véios

Coração de Fogo é uma analogia rápida, desvendada durante a fase inicial do filme, quando a locomotiva protagonista corre sob os auspícios do aventureiro Pepe. Este filme, forjado sob o martelo de um consórcio entre argentinos, uruguaios e espanhóis, sofre do mesmo mal que Erin Brokovitch. Ou seja, um filme baseado em um fato real, preso à vontade de ser naturalista, o que acaba sendo um eufemismo para evitar pronunciar “pouco criativo”.

Sintomático observar que a função de deliciar também é análoga, sendo os seios bem servidos de decote da americana substituídos com louvor pela adorável presença do ator argentino Hector Alterio, que continua sendo uma presença magnífica, fato comprovado em O Filho da Noiva e Kamtchaka, este último também decepcionante. O ingresso vale a pena por conta dele, e de suas expressões impagáveis. Fora isso, parece que o roteiro não se conecta às interpretações, e os esforços de boa fotografia, que pipocam em certas partes do filme, aparentam deslocamento, e perde-se uma chance de fazer um filme impressionante.

buh!

Taurus é o touro deixado para morrer, Lenin, emoldurado por uma fotografia subexposta, que dá a tudo um ar de velhice e decrepitude. Lenin vegeta em seus últimos dias, escondido do país que precisa vê-lo como um ser divino.

Os russos continuam deixando-me desnorteado pela sua esquisitice, que é uma espécie de prima distante da esquisitice japonesa, como se existisse uma esquisitice do Leste. E os russos são do Leste, por mais que as belas paisagens de Taurus possam inspirar visões da Europa gelada.

O horror do comunismo se espalha pelos fotogramas claros, e chega a seu ápice com Stálin, que Lenin não reconhece, para gáudio hilário das pessoas que vivem com ele em seu exílio. O êxito da performance é menos do intérprete de Stálin do que da cuidadosa implementação do clima correto por Sokurov, que prepara as cenas em um ritmo que provoca o impacto da presença hedionda de Stálin.

Um belíssimo filme. Chatíssimo, mas belíssimo.

Anúncios

Sobre gilvas

Pedante e decadente, ao seu dispor.
Esse post foi publicado em Cinema Europeu, Cinema Mercosul e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s