Wolfgang Becker: Goodbye Lenin

Quem poderá entender a classificação dos filmes alemães? Goodbye Lenin está classificado como comédia, mas o que passa na telona é aquela mesma salada confusa de O Que Fazer em Caso de Incêndio? A mesma fotografia bonitona, os mesmos atores plásticos, a mesma confusão sobre a linha que o roteiro irá tomar. E a música de Yann Tiersen ali, perdida no meio da bagunça toda.

Certas piadas são excelentes, e extraem gostosas gargalhadas, como quando a mãe socialista convalescente dita reclamações sobre os números de lingerie fornecidos pelo Estado, destilando ironia diante da amiga à beira do ataque de riso. Mas o diretor quebra o ritmo quando este resolve embalar, e a platéia fica sem uma linha condutora para uma experiência cinematográfica mínima.

O mesmo vale para as tomadas. Algumas são grandiosas e arrepiantes, como quando o torso gigantesco de Lenin sobrevoa as avenidas, brandindo seu dedo contra a mãe socialista que havia fugido do apartamento.

O filme poderia passar por um produto de certo perfeccionismo germânico, mas mesmo este está desaparecido, como testemunha a camiseta do amigo de Alexander. Se o filme se passa em 1990, basicamente, como ele pode estar usando uma camiseta do Matrix? Furadíssimo!

Entretanto, ninguém pode reclamar de não haver gargalhado o suficiente. A estrela do lado cômico do filme foi o microfone, que cismava em aparecer a toda hora. Pelo que contei, foram mais trinta aparições daquele objeto voador. No início ri, para logo depois ficar chateado com tamanho amadorismo conjunto de projecionista e contra-regras, e, por fim, fiquei preocupado com a segurança dos atores, que muitas vezes escaparam do “impacto microfonante” por pouco.

Pensei na falta que o Costinha fazia ali. Imaginei-o virando aquela cabeça obscena, e fazendo “mé!” num daqueles narcisísticos captadores de som.

Pelo que pude observar, ainda demora para os germânicos alcançarem o nível de habilidade que os gauleses adquiriram no estilo de comédia de Hollywood. Por enquanto, eles são tão atraentes quanto um belo prato de chucrutes.

Anúncios

Sobre gilvas

Pedante e decadente, ao seu dispor.
Esse post foi publicado em Cinema Europeu e marcado , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Wolfgang Becker: Goodbye Lenin

  1. bia disse:

    eu fui ontem ver goodbye lenin, e gostei tanto que hoje resolvi procurar algo sobre o filme na net, e encontrei a sua critica.
    li as suas observacoes friamente, e elas sao irrelevantes.
    ficou evidente que voce nao entendeu nada.
    sorte minha,sua nao pq pra vc nao faz diferenca,que os germanicos nao alcancaram “o nivel de habilidade no estilo de comedia de hollywood”, sendo assim eu tenho oportunidade de saborear um filme que trata de um periodo historico complicado com leveza e sensibilidade, sem cair na superficialidade obvia, tao comum no cinema atualmente,que agradam na medida certa pessoas avidas em criticar sem precisar pensar e entender.

  2. Victor disse:

    Devo ainda dizer que sua citação de Guimarães Rosa me envergonha. Talvez envergonhe até ao próprio!
    Outro abraço.

  3. Victor disse:

    Concordo com você em alguns aspectos, embora seu pedantismo não permita que você os desenvolva e os discuta – o que é normal nos pseudocríticos deste mundo pós-moderno -, todavia discordo de você em grande parte de seu texto.
    Você começa com um questionamento que não me parece importante: “Quem poderá entender a classificação dos filmes alemães?”, continua questionando a comédia – que é, sim! -, argumentando que é uma “salada de frutas” e depois dedica três de seus parágrafos – metade de seu textinho – para dizer que morreu de rir com o filme, parapi parará. Paradoxos? Me parecem.
    E, sinceramente, fiquei um pouco perdido quando você diz no último parágrafo que os gauleses atingiram um nível da habilidade da comédia hollywoodiana. Você acha a comédia francesa parecida com a comédia americana mesmo? Ou seria mais uma de suas citações sem embasamento que nada mais fazem que mostrar o quanto sua análise é pobre e pedante?
    Devo ainda dizer – ou sugerir -, que você se dedique mais aos cálculos, pois ali você corre menos riscos. Ou talvez até faça crítica de arte, mas faça dos filmes do cinema ArcoÍris, pois assim, as coisas, talvez, se facilitem para você.
    Grande Abraço!

  4. Juls disse:

    e tu percebeu a variedade dos mics?
    quando era num ambiente fechado, era um preto fininho, mas quando era no aberto, um bem grosso, parecia até microfone daqueles antigos, de rádio, sei lá. Haha.
    Muito bom!
    Concordo com o que você falou, que dessa vez, eu entendi! 🙂
    Eu soube que roubaram as tuas luzinhas (não sei como se chama aquilo, heh) na casa da Andréia. Que mewrda. :/

    té!
    =*

  5. Pabs disse:

    Olá. Vim visitar seu site. Gostei muito. Interessante. Legal vc escrever sobre filmes e tal. Acho suas críticas muito bem escritas e convidativas. Ainda nao vi ‘Goodbye Lenin’, mas devia, pois só ouvi falar bem… Mas nao entendi muito bem… vc recomenda ou nao ?

    A Propósito… linda a foto de Alice. Mandou bem.

    Abraços.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s