Nas Ruas

Propaganda Sucks!

Existem graus de insalubridade diversos nos métodos de transporte, e alguns independem das condições mais triviais, tais como estado das ruas e avenidas, educação de motoristas e pedestres, humor de São Pedro, por exemplo.

Além destas variáveis, devemos levar em consideração os atentados ao bom gosto e à apreciação estética que se apresentam em pontos de ônibus e cartazes das traseiras de ônibus. Vou utilizar um exemplo para cada um deles.

De cartaz, eu vou com os cartazes do Só Exatas, que surgiram nas traseiras dos ônibus de Floripa nos últimos dias. Existem duas variações, menina e menino, e ambos partilham do mesmo preconceito básico. Ambos os modelos são feios de doer, tenebrosos, escolhidos a dedo por algum fotógrafo de freak show, que deve ser acostumado a chamar o domador depois de fazer o seu trabalho.

A escolha de modelos bisonhos só pode dever-se a um preconceito declarado contra as pessoas que escolhem as exatas, como engenharia ou matemática. Ou porque o orçamento estava curto, mas duvido desta hipótese, pois aquelas duas peças raras não devem ser baratas. Sem trocadilho.

Não digo que o povo de exatas seja exatamente passível de apreciação estética inquestionável, mas eu acreditava bastante na capacidade de perpetrar eufemismos da nossa classe publicitária. Não precisava pegar um graduando de física, mas ir em alguma propaganda de curso energia da vida, e pedir emprestado um daqueles adolescentes abobalhados e de boa pinta.

E os cartazes em pontos de ônibus? O Mini Calzone, sediado na Trindade sob a placa de Capitão Gosmento, arranjou uns cartazes impossivelmente ruins.

No primeiro, um guri de boné virado, olhos esbugalhados, com a boca sobre um calzone, e as laterais cobertas de goiabada, em um arranjo onde não pude decidir o que é pior: a parca verossimilhança ou o mau gosto absurdo.

No segundo, uma garota lança um olhar surpreso para um calzone a uma distância considerável. Seu par de olhos é a segunda coisa notável na foto; esbugalhados como aqueles do garoto ridículo do primeiro cartaz, eles transmitem uma vontade abobalhada de saltar sobre aquele ícone alimentício ali pousado. Lamentável.

Ok, vou parar antes que me proíbam de escrever em dias de mau humor.

Anúncios

Sobre gilvas

Pedante e decadente, ao seu dispor.
Esse post foi publicado em Mau Humor. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Nas Ruas

  1. Maxie Diesel disse:

    graduando de física foi pesado……. como uma representante da categoria, informo que as coisas estão mudando muito…..até já estamos nos comparando à farmacia!!!!

    beijo

Os comentários estão encerrados.