PJ O’Rourke: Etiqueta Moderna

Eu li este livro, e fiquei pensando em quanto seria complicado escrever uma resenha sobre páginas tão divertidas. Ok, fica um pouco repetitivo lá pelo meio, até porque o cara é americano, e o humor deles é meio chato mesmo. Não tão chato quanto o humor sexista que domina a escola brasileira, eu confesso.

No lugar da resenha, preferi colocar alguns trechos.

“O mundo moderno é um lugar horrendo. Não possui nada de permanente e verdadeiro. É desprovido de qualquer valor defensável.

Toda a existência está desordenada. Crenças religiosas caíram em descrença. O amor é muito discutido e pouco praticado. Ninguém dá valor aos valores morais. E o intelecto também não traz consolo: inteligente virou sinônimo de ininteligível.

Se a vida está uma zorra, porque se preocupar com o garfo certo para comer?

Ora, mas esta é a única coisa com a qual você deveria se preocupar. Já que não é possível arrumar o mundo, devemos pelo menos arrumar a mesa direito. A etiqueta é tudo que sobra quando formas mais respeitáveis de autoridade entram em colapso. Quando a substância é execrável, só nos resta cuidar da forma. O mundo está mesmo indo para o inferno. E o melhor que podemos fazer é manter a elegância durante a viagem.” (página 17)

“Boas maneiras também podem substituir o amor. A maioria das pessoas admitirá que prefere ser tratada com cortesia do que ser amada, se elas realmente pararem para pensar a respeito. Considere, por exemplo, quantos tiroteios e facadas são provocados pela etiqueta e quanto são provocados pela paixão.

E boas maneiras também substituem o intelecto, providenciando um conjunto de norma memorizáveis para qualquer situação da vida. Normas memorizáveis eliminam a necessidade do pensamento. (…)

O ato de pensar é, na verdade, uma grosseria em si mesmo. Boas maneiras envolvem interação com os outros. Você não pode pensar e, ao mesmo tempo, escutar o que as pessoas dizem. E se você acha que a maioria das pessoas não têm mesmo o que dizer, é porque você continua pensando. Não há desculpa.

Como resultado da inata grosseria do pensamento, pessoas que pensam não são muito populares. Apesar dos Curies serem extremamente famosos, eles raramente eram convidados para jantar. Eles pensavam demais. Além disso, eles brilhavam no escuro.

O fato de as boas maneiras exigirem interação é, na verdade, sua característica mais útil. Boas maneiras nos forçam a prestar atenção às necessidades, desejos e esperanças de outras pessoas. Se você tem boas maneiras, nunca se tornará um narcisista egocêntrico. Uma pessoa egocêntrica é digna de pena. Existem muitas pessoas interessantes no mundo e, enquanto o egocêntrico não está prestando atenção nelas, elas provavelmente roubarão a carteira dele.” (página 24)

Anúncios

Sobre gilvas

Pedante e decadente, ao seu dispor.
Esse post foi publicado em Literatura e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para PJ O’Rourke: Etiqueta Moderna

  1. helen disse:

    Boa maneira p/ mim não é saber pegar num garfo, isso qualquer um pode aprender…
    Não é entrar no latão e sentar c/ as pernas cruzadas, mas levantar o traseiro e deixar aquela senhora q tem o triplo ou quádruplo da tua idadezinha sentar.
    E não concordo c/ td q esse cara aí falou…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s