P.J. O’Rourke: Guia do Solteiro

ugh

aham:

Existe só um segredo na cozinha do solteirão – não se importar com o gosto. Se você conseguir chegar a este nível, tudo bem. Ser um solteirão é, mas apenas neste aspecto, ser como um monge budista mendicante.Espera-se que os monges andarilhos comam sem prazer ou nojo o que quer que lhes coloquem nas cuias. Isso mostra que eles têm aspirações mais transcedentais. Existe uma história sobre um monge em cujo prato caiu, certa vez, o dedo de um leproso. O monge comeu o dedo e imediatamente alcançou a iluminação.

E esta é a iluminação que ele alcançou: “congelados não são tão horríveis, desde que você lembre de tirar o papel alumínio do troço cheio de molho”.

E isso é tudo. O resto é controle de danos – a maior parte pode ser feita com molho de pimenta ou antiácidos comuns.

Não há como negar, entretanto, que a culinária do solteirão é perigosa. Envenenamento e fome são duas possibilidades. Mas não são nada comparadas ao horror da besteirada dos gourmets. O mundo não precisa de mais um mestre-cuca neurótico. O espetáculo de um homem crescido discutindo sobre folhas de manjericão é repugnante a uma pessoa sensível. Seus amigos iam preferir cem vezes morrer de fome ou ir a um restaurante do que sentar na sua cozinha e observar você colocando castanhas portuguesas em coisas que não combinam com elas, fazendo uma bagunça nojenta com alface romana.

O que teria acontecido se o homem do paleolítico tivesse ficado na gruta o dia todo, dourando vagarosamente costeletas de mamute? As mulheres teriam sido obrigadas a sair para caçar mamutes – e você sabe como são as mulheres. Em vez de simplesmente empurrar a coisa penhasco abaixo, elas teriam atraído o bicho para um estábulo, o alimentado com restos de comida, lavado e penteado o coitadinho, e colocado fitas de pelica no pêlo dele. Aí então, na próxima vez que você quisesse dourar suas costeletas de mamute, elas gritariam: “Matar o Fofinho?! Como você é capaz de pensar numa coisa dessas?” E começariam a chorar.

Além disso, se você fosse um cozinheiro, você já teria descoberto. Você teria um daqueles chapéus.

Cozinhar é um negócio complicado. Você não começa assim da noite para o dia só porque está cansado de comer presunto pré-cozido. Você também, provavelmente, deve estar cansado de ir ao dentista, mas isso não quer dizer que você vá pegar uma Black & Decker e testar seus molares se olhando no espelho do banheiro.

Lembre-se destes dois pontos importantes:

1. Tudo o que você cozinhar não vai ficar bom de jeito nenhum;
2. Eu não estou brincando.

E agora vão ler o resto do livro!

Anúncios

Sobre gilvas

Pedante e decadente, ao seu dispor.
Esse post foi publicado em Literatura e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para P.J. O’Rourke: Guia do Solteiro

  1. anônima disse:

    Obs.: Não acredito que as mulheres do paleolítico tinham este estereótipo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s