Resmungos

Liberdade é mostrar a bunda do guarda!

O narrador do documentário Surplus diz, em certa altura, que “nossa atual liberdade se limita a escolher marcas diferentes de produtos que apresentam as mesmas características”. Um breve olhar ao redor nos dá diversos exemplos da ditadura que a tal economia de mercado nos impõe.

Libélulas, por exemplo. Fomos invadidos por libélulas em formas de pingentes e brincos de tal forma que fico me perguntando se houve um acidente com algum container de produtos chineses, centenas de milhares de conjuntos de bijuterias padronizadas segundo a forma dos supracitados insetos.

E os malditos hibiscos! Um estatístico se arrepiaria com o número de carros que portam aquele adesivo de um hibisco na traseira. Nada contra as simpáticas flores orientais, mas não poderíamos usar papoulas, zínias, cravos-de-defunto, por exemplo?

Não posso esquecer da maldição do tuning, que foi democratizado, permitindo que a babaquice automotiva esteja ao alcance de todos os mortais que a desejarem. E, diabos, como desejam! O cara vai na loja, compra seu carrinho simpático, todo certinho, muitas vezes zero quilômetro, e o que ele faz em seguida? Enche de baianagem: toda espécie de penduricalho de plástico para deixar seu possante com aquela cara de puta velha; uma tristeza.

Pior que isso, só quando o cara vai além das baianagens superficiais, e se dispõe a fazer modificações estruturais, tipo cortar molas ou mexer no escapamento para fazer algum ruído ridículo, do tipo que só horroriza as mulheres, justamente aquelas que o mané pretensamente estava tentando impressionar.

E vou parar de falar antes que eu comece a lembrar que existem mulheres que fazem baianagens nos seus respectivos. Vou me concentrar na existência daquele programa ridículo chamado Orange County Choppers, e pensar que o sexo feminino ainda tem noção do ridículo automotivo.

Anúncios

Sobre gilvas

Pedante e decadente, ao seu dispor.
Esse post foi publicado em Bobagens e marcado , , , , . Guardar link permanente.

7 respostas para Resmungos

  1. ana vile disse:

    oh lord! e as famílias? quem quer saber a composição da família que detém a posse do automotivo?!?!? pior ainda com camisas de times…. e pets ….

    Mas, no que me diz respeito, visto minhas origens nordestinas, acho isso uma catarinagem!!!

  2. Mirian Yoschie disse:

    Dane-se hibiscos, libélulas e possantes!
    Falemos de pernas e humm traseiros…

    Beijo!

  3. Tatiana disse:

    Geralmente carros modificados servem para duas coisas: causar poluição do ar e causar poluição sonora. Sem contar o desprezo com os engenheiros que passam horas projetando um determinado produto, para depois vir um consumidor e alterá-lo por motivos nem sempre compreensíveis.

  4. Maxie disse:

    eu gosto de ver um carro modificado, acho que tudo o que foge da padronização industrial é válido…tente ver o programa Overhaulin, quem sabe vc não passe a apreciar a arte sobre rodas.

    quanto aos hibiscus… eu concordo… eitá coisa mané.

  5. Maxie disse:

    eu gosto de ver um carro modificado, acho que tudo o que foge da padronização industrial é válido…tente ver o programa Overhaulin, quem sabe vc não passe a apreciar a arte sobre rodas.

    quanto aos hibiscus… eu concordo… eitá coisa mané.

  6. Maxie disse:

    eu gosto de ver um carro modificado, acho que tudo o que foge da padronização industrial é válido…tente ver o programa Overhaulin, quem sabe vc não passe a apreciar a arte sobre rodas.

    quanto aos hibiscus… eu concordo… eitá coisa mané.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s