Ficção No. 36

Diante da lápide, os joelhos doíam. Ela quis saber:

Desculpa eu perguntar de novo, mas eu realmente preciso saber.Você é como eu?

Também sente vontade de correr como uma pessoa louca, morro abaixo, só para sentir o pulmão saltar até a garganta, como se o peito fosse explodir ainda que você soubesse que ele não ia mesmo explodir?

Ah, entendi… Sente vontade de correr morro abaixo para fora do trilho, mas só depois que embalasse, para ter certeza que não ia parar nem mesmo depois que o corpo já não obedecesse, para estar inconsciente na hora em que estivesse com machucados demais para permitir a sua sobrevivência.

Sim, entendi.

Mas o que? Você ainda sente vontade disso?

Anúncios

Sobre gilvas

Pedante e decadente, ao seu dispor.
Esse post foi publicado em Ficções e marcado , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Ficção No. 36

  1. Inês disse:

    falta de comunicação. me identifico com a primeira pessoa.. inclusive esbocei algo por aí hoje, mas na verdade não funcionou. fica a sensação mesmo. [e eu não me lembro mais como vim parar aqui, só lembro que gostei do nome, vim e gostei de tudo..

  2. Turnes disse:

    meio Outsider.
    quem viver velará.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s