Ficção No. 37

DeTantosUm

Olhava para ele com os olhos marejados, tremendo, apertando os dentes uns contra os outros. Ele, agora um amontoado daquelas razões que eram expressões racionais mesmo, mas que ela não precisava, entretanto, aceitar. Não quando não sabia viver daquele jeito contado dele. eu realmente não odeio O Poderoso Chefão, ninguém poderia odiar O Poderoso Chefão, mas será que você não consegue entender que é nesse detestar que fica meu único refúgio do que é essa coisa que me domina e que me engloba que é o que eu sinto por você?

Anúncios

Sobre gilvas

Pedante e decadente, ao seu dispor.
Esse post foi publicado em Ficções e marcado , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Ficção No. 37

  1. MM disse:

    Sessão terapêutica:
    Paradoxal…paixão e ódio. Poder e Desejo…Aqui não há espaço para o amor…
    Esse texto dá insight…

  2. sol disse:

    eu sei que tu vai continuar o maldito perfil psicológico, mas eu amei isso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s