My Computer: Vulnerabilia

Squeeeeeek!

Jogue no mesmo estúdio:

Do Mansun: confusão glamurosa e eletrônica, vocais jogadões Madchester e gosto pelo progressivismo;

Do Muse: interlúdios divagativos, alguns vocais compridos emulando divas antigas e pianos pomposos de aberturas surrupiadas, beirando uma espécie de cafonália operística;

Do Stone Roses: batidas quase eletrônicas, como se fossem feitas para embalar alguma festa dos tempos finais do Hacienda ou a festa de aniversário do Bez;

Do Jeff Buckley: certos falsetes elevados, mas, diabos, quem não roubou falsetes do Jeff Buckley? Eles já deviam ter sido considerados de domínio público;

Arranje uma banda sem rosto eles para extrair uns timbres eletrônicos legais e gordões, que parecem surrupiados de alguma época dos anos setenta que não foi documentada pelos meios oficiais;

E vocoder. Bizarro que ainda haja gente usando vocoder.

Chacoalhe tudo com uma produção esperta, atoche um título bem legal, e sai um disquinho com “Vulnerabilia” estampado na frente do encarte.

Dentro, o resultado são canções curiosamente suingadas e melancólicas, e ainda assim organicamente coerentes, como se a esquisitice das batidas inibisse a percepção do caráter predominantemente coxinha das letras. Algum excesso de vocoders é notável, assim como um pouco de cansaço do ouvinte pela correria que eles promovem para cobrirem dezenas de estilos em apenas um álbum de dupla inglesa.

Se não tiver saco para o álbum todo, o que eu considero totalmente normal, eu diria que não se deve passar uma vida sem ter dado um ouvidinha em All I Ever Really Wanted Was A Good Time, Vulnerabilia e Fill My Cup. Certas coisas, como Majic Flat, forçam a amizade, embora sejam divertidas para os ouvidos podraços do escriba aqui. As coisas perdem rotação brutalmente no final, o que significa que este disco não é daqueles em que a música final puxa a primeira de novo, numa espécie de círculo vicioso de apoteose pop. Pensando bem, pouquíssimos discos conseguem este efeito, e ele não dura para sempre.

Noves fora, Vulnerabilia é um disco incompleto, talvez não amadurecido, e My Computer uma banda com um enorme potencial. Assim que eu conseguir baixar No CV, segundo disco dos caras, eu conto para vocês.

Anúncios

Sobre gilvas

Pedante e decadente, ao seu dispor.
Esse post foi publicado em Música e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s