Dinossauros

Depeche Mode

Depeche Mode e New Order são bandas cruciais para entender a existência do rock eletrônico como ele existe nos dias de hoje. Em aspectos diferentes. O New Order é importante por ter inserido, com sucesso, a eletrônica vigente em hits como Blue Monday, enquanto o Depeche Mode trouxe a imagética dos clubes eletrônicos em seus shows, antecipando a virada que o U2 daria no começo dos anos noventa. Neste ponto existe, inclusive, um ponto conjunto de inflexão para as duas bandas: enquanto os ingleses iam do eletrônico para o rock duvidoso de Songs Of Faith and Devotion, o grupo de Bono se encaminhava para os blips e blops de seu também duvidoso Pop.

Ambos os grupos nasceram de expurgando suas peças centrais. No caso do New Order, foi Ian Curtis, que os liderava com a alcunha de Joy Division, uma excelente banda, mais falada do que ouvida, entretanto. O Depeche Mode começou sob os auspícios de Daniel Miller, e teve Vince Clarke, que saiu logo após o lançamento do primeiro disco. Muito falou-se da inevitável final infeliz diante da saída do enfant terrible, mas o Depeche Mode sobreviveu, e é uma instituição bem mais lembrada do que o Erasure ou o Yazoo, que são apenas curiosidades oitentistas hoje.

Aliás, coisa triste esta de revival oitentista. Outro dia falo disso.

A aceitação das bandas, entretanto, sempre foi distinta. Talvez por empunharem instrumentos “de verdade”, o New Order tenha feito sucesso tanto no meio alternativo quanto nas rádios, enquanto o Depeche Mode sempre foi visto como uma banda pré-fabricada, algo como um Menudo newromantic.

Chuta que é macumba!

O disco novo do Depeche Mode, Playing The Angel, serve-se da despretensão como combustível. Se não há mais nada a inventar, o lance é divertir-se. E Dave Gahan se diverte: convoca uma missa em John The Revelator, lança-se aos ares em Suffer Well, cheia de boas guitarras, sintetizadores fantasmagóricos e dinâmica esperta. Martin Gore volta às boas melodias, felizmente. O clima dark, inevitável, está em Sinner in Me e Damaged People, que, junto com a apropriadamente batizada Precious, formam uma linha coerente e crescente com os discos recentes. Os climas sugeridos em I Want It All, título já utilizado em uma farofada antiga do Queen, são belos. É um disco que se entrega logo após a segunda audição, bem amarrado, atual e instigante na medida do que uma banda desta idade consegue.

Quase a mesma coisa pode-se dizer do novo lançamento do New Order, Waiting For The Siren’s Call. Quase. A primeira audição, partindo da bombástica e recorrente Hey Joe, é sedutora, e te convence de que se está diante de uma banda viva, ao menos. Existem guitarras aos montes, e eles escapam da armadilha cruel que seria tentar acompanhar os ritmos dançantes atuais; é um disco de rock, apesar de coisas bizarras como I Told You So, que eu não consigo ouvir sem pensar em Macarena.

As letras continuam trazendo os velhos temas e chavões de Bernard Summers, o que me incomoda um pouco, assim como certos refrões felizes, que não caem bem para finalizar algumas estrofes cantadas no tom melancólico de Summers.

Lá pelas tantas eu percebi um detalhe funesto: as percussões são maravilhosas, muito bem executadas e bem gravadas, assim como o restante da instrumentação. E quando a gente repara nesses detalhes, a ponto de se admirar deles, toca o alarme de “álbum burocrático de banda que sabe muito bem o que faz”. Mas isso não me impede de curtir faixas ótimas como o single Jetstream, vitaminada com deliciosos vocais femininos convidados, a bonita Turn ou a classicamente roqueira Working Overtime, que pede uma festa no antigo Bar do Franck.

Anúncios

Sobre gilvas

Pedante e decadente, ao seu dispor.
Esse post foi publicado em Eletronices e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

7 respostas para Dinossauros

  1. Pingback: Talk Talk: Natural History « sinestesia

  2. Pingback: A Canastrice Compensa « sinestesia

  3. Pingback: White Lies: To Lose My Life… « sinestesia

  4. Pingback: Speakorama! Cultura+Viral+Música+Cinema+Game » Blog Archive » She Wants Revenge: This Is Forever

  5. xine disse:

    gostei do anti-spam!
    =]

  6. xine disse:

    acho q dá ultima vez q entrei aqui o assunto em pauta era o disco do depeche
    =]
    como estás, corazón?
    bezitos

  7. tag disse:

    afude! snstsia de volta ao ar! maravilha!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s