Marcos Carnevale: Elsa e Fred

Elsa & Fred

As sinopses que encontrei na internet são ambíguas, confusas, ou, simplesmente, erradas. E não sem razão. É difícil escrever uma visão prévia de um filme onde um dos personagens é um mentiroso patológico. Tu vais descobrir isso depois de dez minutos de filme. E você não vai perder este filme.

Elsa e Fred abusa das referências a Fellini, especificamente a Dolce Vita. Não sou um fã deste filme, então me enfastiou um pouco o culto à cena de Anita Ekberg na Fontana di Trevi. Nunca vou entender a magia que todo mundo parece ver nesta cena.

Entretanto, ela funciona bem como mote utópico para a vida de Elsa. É possível uma leitura metafórica dos personagens sublinhando a relação entre Espanha e Argentina, entre Europa e América do Sul, mas não vale a pena prender-se a isso. Melhor divertir-se.

Elsa e Fred começa a chamar a atenção pelo cartaz, um dos mais bonitos que vi ultimamente. Pode-se acusar o designer de deixar óbvios certos aspectos da relação deles, mas, diabos, ele foi inventivo e esparrama bom gosto nas cores e na distribuição de elementos.

Como sói ao moderno cinema argentino, reina uma mescla de humor e amargura, o autêntico Bittersweet de la Plata, com o perdão de meu castelhano deplorável. As situações alternam dor e riso de uma forma que talvez apenas os vizinhos brasileiros consigam entender direito. Assim como o tango, a temática dolorosa permeia o samba, apesar das formas musicais distintas.

O desenho dos personagens talvez seja excessivamente delineado, beirando a caricatura, o que também é típico da produção argentina atual. Este efeito se dissolve na direção segura, que sabe dar o tempo necessário para absorvermos os solavancos das revelações feitas a Alfredo. Carnevale nos deixa à deriva na direção do que se configura um desastre total apenas para descobrirmos que o amor adolescente, burrolino e inconseqüente, passa por cima de todas essas complicações tolas.

Elsa & Fred é encantador.

Anúncios

Sobre gilvas

Pedante e decadente, ao seu dispor.
Esse post foi publicado em Cinema Europeu, Cinema Mercosul e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Marcos Carnevale: Elsa e Fred

  1. Ana Corina disse:

    Hum… Sabes que já peguei este filme algumas vezes na mão e deixei passar? Gosto bastante do cinema argentino, do espanhol, enfim, de qq coisa que fuja da mesmice medíocre de Hollywood. Valeu pela dica.

    • Rubens disse:

      É por essas e outras que não leio nem vejo nada sobre o filme que vou ver.
      Uma pontuação acima de 7 no IMDB é o bastante.
      Elsa & Fred vi umas 3 vezes, ótimo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s