Urubici

Urubici é uma cidade da Serra Catarinense, provavelmente a que mais concentra excentricidades da Natureza naquela região. Estive lá no carnaval passado, no que deve ter sido o pior tempo para passear por lá. A visibilidade estava péssima, tudo coberto de neblina, e a chuva raramente dava trégua, transformando as estradas de terra em grandes ringues de lama, e as de asfalto em traiçoeiras armadilhas baseadas em aquaplanagem.

A Cascata do Avencal foi um dos poucos pontos que pudemos realmente apreciar. Cem metros de queda diante de um desfiladeiro imponente, e um volume de água descendo junto a paredões de inclinação quase impossível. Perto dali, inscrições rupestres intrigantes e plantações de maçã, presentes em toda parte.

Os planos de segunda-feira eram pomposos, e incluíam a conquista de diversos pontos pitorescos, mas a manhã veio carregada de nuvens e todas as formas possíveis para a água na cor branca. Qualquer um desistiria, mas não Gilvas, que arrastou seus fiéis amiguinhos a uma travessia da Serra do Corvo Branco, seguida da travessia da Serra do Rio do Rastro, entremeada de uma visita ao Morro da Igreja, ponto culminante do estado de Santa Catarina. As paisagens foram bem parecidas, todas brancas. Deixa estar.

O estado da exploração do turismo em Urubici ainda é rudimentar, e isto é uma pena. A cidade tem um potencial enorme, e para atrair um tipo interessante de turista, de classe média, apreciador de aventuras e paisagens com pouca interação do homem. Este é o tipo de turismo que ajuda as reservas naturais a se manterem. Canela, por exemplo, tem pouco mais do que uma cachoeira furreca, e consegue fama nacional, preços altos e pousadas sempre cheias. E Urubici não dependeria de frio para ser uma maravilha a ser apreciada.

Voltei cheio de planos de excursões, e deliro com acampamentos exploratórios e outras coisas sem noção. Coisas que o Corvo Branco planta na tua cabeça. Descendo pela estradinha toda enroscada, em meio ao colchão de neblina que nada permitia divisar no buraco abaixo, e que transformava o pouco do paredão visível acima em uma promessa de paisagens dignas das moradas dos aesires nórdicos, pensei em que tipo de desarranjo mental causa às pessoas o impulso de construir uma estrada como aquela. Fosse o único caminho, ainda entenderia.

Agradeço, sem dúvida. Espero que a estrada continue lá, firme, e que não seja asfaltada em toda a sua extensão. Temo que o aspecto mágico daquelas paragens, fundado em seus panoramas selvagens, se perca com a banalização imposta pelas manadas de carros médios de cheios de pessoas molengas que vêm apenas para verificar se as fotos que viram nas revistas e na internet não foram forjadas.

Anúncios

Sobre gilvas

Pedante e decadente, ao seu dispor.
Esse post foi publicado em On The Road e marcado , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Urubici

  1. maricota disse:

    Poxa, que legal!!

    Há tempos que tenho planejado uma viagem pra serra…Pena que eu não pude ir!

    Quem sabe da próxima, né?

  2. Ming disse:

    (esse teu anti-spam tem uma seleção de palavras sensacional)

    Urubici é mesmo bacana, embora ficaria entediado lá em alguns dias. Naquele passeio que rolou com o Dojo a serra do Corvo Branco foi o ponto alto – passamos lá à noite, e foi muito bonito.

    Aquele abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s