Quase Aqui

Eu minto muito. É um vício terrível, uma faceta negra, uma falha de caráter. Uns e outros podem reconhecer os sintomas aqui e acolá enquanto passeiam um pouco mais atentamente sobre algum texto.

Se eu escrevesse como Andy Yorke, parágrafos como este primeiro abundariam em minha, uhm, obra. Andy Yorke tem uma obra, entenda. Ela, em sua flagrantemente maior parte, é confessional. Eu a percebo tanto mais confessional no primeiro registro do Unbelievable Truth, provavelmente porque foi o meu primeiro contato com as letras de Andy Yorke.

Como o seu irmão, Andy Yorke congelou em uma idade. A diferença é que Andy, em contraste com Thom, parou ali pelos vinte, vinte e um, de um poeta suburbano. Ele olha pela janela, e enxerga uma variante do amor de que Jiddu Krishnamurti falava. Andy olha, sem egoísmo, para tudo e em tudo enxerga uma vertente de carinho. A diferença do inglês para o indiano é que, para o primeiro todo este amor pesa, dado que se traduz em responsabilidade.

As canções de Almost Here seguem curvadas sob o peso desta responsabilidade. A atmosfera sonora é de um folk bucólico e de belas melodias. Ele alça, muitas vezes, vôos épicos a partir dos murmúrios para então se acomodar, em posição fetal, num sofá confortável vocais de apoio.

Andy Yorke segue a tradição trágica dos poetas novecentistas com pinceladas generosas de um Tchekov ali imbuído. Seus heróis e suas heroínas caminham pelas calçadas para casa após um dia em cafés, bibliotecas, salas de espera, balcões de locadoras, e ali encontram a realidade de um amor ralo na atmosfera que se concentra em suas almas atentas.

Mas eu minto mesmo. Hoje, por exemplo, eu deveria estar ouvindo algo cafona para faxinar meu lar. Mas não, eu ouvi, três vezes seguidas, Almost Here, primeiro disco do Unbelievable Truth. Eu acho que você deveria fazer o mesmo. Está uma noite tão bonita e tão fria que as confissões da bela voz de Andy Yorke fazem todo o sentido que uma noite poderia ter.

Anúncios

Sobre gilvas

Pedante e decadente, ao seu dispor.
Esse post foi publicado em Música e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Quase Aqui

  1. Milene disse:

    Eu não conhecia…mas estou ouvindo agora e achando muito agradável! Realmente combina com dias frios e chuvosos.

    • gilvas disse:

      eu sou tão tarado por unbelievable truth que coleciono lados b. só não consegui foi um bom site com tablaturas de violão para as músicas deles…

  2. Leandro disse:

    Belo texto, caro. Eu não conhecia esse grupo, e gostei. Abraçoz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s