Um Andar Abaixo

Uma manhã de meia-estação começa em um condomínio qualquer da Bacia do Itacorubi, na Capital dos Catarinenses. Espreguiçando-se, o indivíduo começa sua rotina de preparar-se para ir ao trabalho. A gatinha solicita atenção, adivinha o raio de Sol que se espraia sobre o corrimão lá fora, posta-se diante da porta explicitando sua vontade.

A porta abre, a gata sai, a gata volta. Balbúrdia. Um casal discute em algum andar abaixo. Sete horas e alguns minutos. O amanhecer de comercial de margarina desaba. Deixar quieto? Intervir? Intervir, a pessoa merece paz na sua manhã. Intervir como? A voz pode provocar, melhor evitar. “Shhhhhhhhhh” prolongado. As vozes seguem, alteradas. Mais uma vez. Ainda as vozes. Uma terceira vez.

A voz da mulher segue num monólogo, e alguém começa a tocar um pandeiro nos andares abaixo. Existe gente espirituosa no mundo.

A porta é fechada. A preparação prossegue.

Momento de sair, ele esquece alguma coisa. Volta. A gata olha de volta, cara de quem quer ficar em casa de boa e só vê-lo de noite.

No estacionamento, ele olha para o prédio, lembrando dos tempos em que a gata vinha se despedir na janela. O que vê é o namorado da vizinha, sexagenário, sem camisa, abrindo as cortinas e acendendo o primeiro cigarro da manhã. O outro lado da moeda, agridoce como um filme argentino, é a vovó do segundo andar, olhando de relance pela janela, de pijamas. Ele acena. Ela acena de volta. A manhã no cortiço pode, sim, ter seu charme.

Anúncios

Sobre gilvas

Pedante e decadente, ao seu dispor.
Esse post foi publicado em Impressões e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para Um Andar Abaixo

  1. Clara disse:

    A gatinha que é feliz…..

  2. turnes disse:

    Banister é guarda-corpo, que legal!
    Vivi nesse mesmo cortiço, mas não tinha charme não. Disso eu não trouxe nem o pó. (bate os pezinhos)

  3. mafra disse:

    nessas horas eu sei que tenho sorte – de não ter vizinhos (tão) barulhentos (mas meu prédio tem apenas 4 apartamentos) e de não precisar acordar tão cedo.

    ________________________

    mas que estranho, fiquei com vontade de ler “o cortiço” outra vez.

    • gilvas disse:

      highschoollover, graças a vicar in a tutu eu aprendi o que é “tutu” e “banister”. aliás, esta tem no disco de demos que soltaram dos smiths uns meses atrás. já ouviste? ah, e logo sai um disco do duncan sheik inteiro de covers dos anos oitenta. levando em conta o bom do ep de covers que ele fez na época de humming, este lp vai ser ótimo.

      acordar cedo é uma delícia, monsieur mafra, principalmente porque eu acordo cedo naturalmente, sem despertador. tá, exceto quando eu vou nadar, mas acordar sem despertador às seis e vinte e cinco ainda não é uma realidade viável para mim, hehe.

  4. Humberto disse:

    neste domingo teve uma briga assim aqui no meu prédio, aí alguém gritou da janela “eeeeeeeeeeeeeee, favela!”

    hahahaha,ri tanto!!!

    entao banister é isso… hmmm, tem numa música dos smtiths.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s