Me & The Plant: The Romantic Journeys of Pollen

Há discos que te pegam de susto. Foi assim, uns meses atrás, numa noite besta, que alguém postou a música de abertura deste disco de estréia do Me & The Plant. O nome da banda era engraçadinho, o da música também. O que esperar de algo nomeado “Death Cheating Tuna Cowboys”?

Qualquer coisa menos do que um épico com ares de A Horse With No Name, por exemplo. As guitarras da introdução, orientalescas, desmentiriam qualquer relação com a clássica única faixa fodona do America, mas o clima é todo aquele, de atravessar as vastidões inóspitas de um território romantizado por camadas e mais camadas de histórias. Quase todas falsas, claro. Lendas só são poderosas porque são lendas. Enfim.

O disco veio há pouco, olhando para fora do Brasil. Coisa de indie. The Butcher é ainda mais calcada no country como ele seria se interpretado pelo Clint Eastwood. Faixa menor, na minha opinião, meio ansiosa em te agradar. Cordilera Girl sofre do mesmo probleminha, mas é bonita, boa para passear de janela aberta com a gata, uma coisa ali entre Belle & Sebastian e Calexico.

A coisa realmente pega jeito quando começa And It Goes Like This. B&S ainda, mas seguindo para o território dos Mutton Birds, minha banda predileta da Nova Zelândia. Alguns dirão que é REM, mas imprecisamente. On My Own é ainda mais Mutton Birds com seus apelos de estrofe. …But i believe in stories to save the day… Linda demais.

A sessão chill-out termina com The Core. Dá até para ensaiar alguns passos no piso de taco. Ou sair para assaltar um banco. Testosterona cenográfica espirrada pelo cenário. Lazyness Behind Linen Curtains II é Calexico total.

Mais para o final, Elastic Heart é James Taylor, dedilhados, aquele sentimento de bondade setentista, do tipo que não olha para o lado, para as boates transbordando de disco e heroína. Not The Time segue a mesma linha, como se fosse um épico silencioso, um clássico de estrada abafado pelo cotidiano de oito a dezoito. Fecha com Seagulls, quase estranha no disco, uma faixa lenta com pianos e arranjo levemente deslocado no tom. Encanta depois de umas cinco audições. Coisa linda. Tipo Videotape, do Radiohead, ou algo assim.

Esqueça o nome não muito apropriado, e curta o som.

Anúncios

Sobre gilvas

Pedante e decadente, ao seu dispor.
Esse post foi publicado em Música e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s