Told You So

SMH cartoon

Eu queria ter mordido a língua. Eu queria estar errado. Queria mesmo, preferia. Meses atrás, eu escrevi sobre a falta de esperança que me acometeu às vésperas do segundo turno da eleição para a prefeitura. Em alguns momentos, depois da posse, eu cheguei a acreditar o Juninho poderia apresentar um trabalho sério, e ainda conservo um senso polianesco de que a especulação imobiliária pode ser mais controlada.

Todavia, vejo que, no transporte público, nada vai mudar. As movimentações para melhorias nesta área se resumem a projetos exóticos como o tal do bondinho do Morro da Cruz, e, literalmente, não se colocam os pés no chão. Faixas exclusivas para ônibus, aumento de coletivos nos horários de pico, nada disso.

Não bastasse o silêncio no transporte coletivo, vem o golpe de misericórdia: a ciclovia de mauricinhos do Coqueiros. Porque é isto que a cidade precisa, de espaço para o almeidinha trazer sua magrela de dois mil reais e dar uma desenferrujada. Para ele dar aquela volta com os almeidinhas júniores, que preferiam estar em casa com seus PS2 (3? 4? Sei lá em que continuação está.) Para a patroa ficar fofocando com as amigues na orla, diante das lindas rochas do Abraão.

Domingueira feita, o almeidinha vai para casa com o i30, que, na segunda-feira, religiosamente vai engordar o engarrafamento e a vontade, ultra-cosmopolita, de ter mais uma ponte. Porque asfalto é o que faz uma cidade. O trabalhador, por seu turno, vai encarar o coletivo atrasado, a intimidade forçada junto à catraca, a passagem absurdamente cara e a cara feia do chefe. Ou vai bancar o suicida, le parkour sobre a magrela, tentando atravessar a cidade selvagem a caminho do trampo.

O prefeito, aposto, vai ter a cara de pau de acrescentar a ciclo-almeidinha do Coqueiros em suas realizações. É capaz de bancar o honesto, e dividir a quilometragem por sete, já que só funciona em um dia da semana. Não seria a primeira vez.

Há de convir que há coerência nas ações do prefeito. Seu partido é da direita tradicional, ungida pela ditadura, e sempre beneficiando as classes altas da cidade, e deixando aquela migalha para a classe média se sentir aceita e atuante. Para os pobres, um aperto de mão, cinquentão para ficar balançando bandeira no sinal antes da eleição, um carrinho de terra para tapear a falta de ruas decentes, tudo naquela camaradagem do Gerson.

Assim fica fácil ser profeta.

Anúncios

Sobre gilvas

Pedante e decadente, ao seu dispor.
Esse post foi publicado em Mau Humor e marcado , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Told You So

  1. annita petry disse:

    Eu também fiquei sem opções no segundo turno mas acreditei que ele iria melhorar a Diretoria de bem estar Animal, como prometeu. Após 2 anos, pelo que eu soube, conseguiu piorar!
    Pior AINDA: minha rua em jurerê tradicional agora pode ter prédios. Embora exista o ganho imobiliário, ninguém queria isso!!! É o fim da praia 😦

    • gilvas disse:

      é, vai acabar aquele ar gostoso e despretensioso de local de veraneio, aquela coisa meio anos oitenta. ele jurava que ia segurar a onda da especulação, mas mentiu. é político à moda antiga, formado na tradição do papai, dos bornhausen, dos amin. é uma pena que floripa tenha de passar por isso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s