Arquivo da tag: romantismo

Victor Hugo: Os Trabalhadores do Mar

Victor Hugo deveria dispensar apresentações, eu pensava. Eu estava errado. O escritor francês tinha uma cadeira de representação política no poder legislativo quando da ascensão de Napoleão III e teve de se refugiar em uma das ilhas do Canal da … Continuar lendo

Publicado em Literatura | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Darwin e Romeu e Julieta

“Uma história sem extremos ninguém para para ouvir” é o que Ian Ramil canta em uma das faixas do seu primeiro disco solo. Ou algo assim. Esta máxima se aplica a muitos setores da existência humana, entre eles os relacionamentos … Continuar lendo

Publicado em Filosofia de Boteco | Marcado com , , | Deixe um comentário

Gustave Flaubert: Madame Bovary

“Madame Bovary sou eu”, diz Flaubert na orelha de uma edição brasileira de seu maior romance.

Publicado em Literatura | Marcado com , , , , , | 2 Comentários

Richard Donner: O Feitiço de Áquila

LadyHawke é um dos últimos exemplares da estética medieval limpinha dos anos oitenta, que ainda geraria o Robin Hood de Kevin Costner, mas logo sucumbiria à visão mais orgânica, de quando o cinema americano agregou as entranhas ao processo. Perdeu-se, nesta … Continuar lendo

Publicado em Cinema Gringo | Marcado com , , , , | 3 Comentários

As Paixões

Nada como discorrer sobre o ópio do povo. Nada mais provocante do que discorrer sobre as agruras dramáticas da rede Globo, nada mais consegue trazer tão abundante a bile à garganta. Novela é um assunto fácil, dado que é um … Continuar lendo

Publicado em Bobagens | Marcado com , , , , | 3 Comentários

As Cartas de Rilke

Almocei hoje lendo uma das cartas de Rilke, constante do volume Cartas a um Jovem Poeta. Trata-se especificamente da carta escrita em Doze de Agosto de 1904, na Suécia. As cartas anteriores, em sua maioria, versam sobre o que faz … Continuar lendo

Publicado em Literatura | Marcado com , , , | 1 Comentário

Romantismo e Sinestesia

Existem pessoas, a maior parte pelo que observo, que não compreendem e não poderiam ser românticas. Talvez melosas, mas não românticas no sentido da apreciação ampla dos eventos arrebatadores que a mais simples das vidas pode proporcionar a seu protagonista. … Continuar lendo

Publicado em Filosofia de Boteco, Música | Marcado com , , , | 3 Comentários