sinestesia

PowerBalance!

Sou uma pessoa rabugenta. Um rabugento sem causa, para ser mais específico. Entretanto, nem todo dia é assim. Há dias em que a realidade me dá motivos reais e efetivos para resmungar profundamente.

Imagine a cena: estou em minha sala de aula no curso de especialização caro e de grife, e reparo que há alguém fazendo uma demonstração. Uma pessoa puxa o braço da outra com vontade, e o outro resiste. Em seguida, este segundo tira algo do braço, e pede para que o primeiro repita o teste. A puxada no braço, desta vez, funciona quase com facilidade.

Fico curioso, presto atenção. Afinal, posso estar diante de uma demonstração de super-poderes! Levanto, caminho pela sala, escuto o papo, e descubro que estou realmente diante de algo extraordinário, estou diante de pessoas extremamente idiotas, criaturas crédulas.

O meu colega de turma estava demonstrando o poder de uma pulseira Power Balance, ou algo equivalente. Trata-se de uma pulseira vulgar em silicone, no centro do qual chama a atenção uma peça com reflexo metálico. Você já deve ter visto dessas pulseiras em algum lugar, ou mesmo chegou a ser alvo de algum conhecido fazendo propaganda de uma delas.

Artefatos desta natureza são bem populares entre pessoas de credulidade hesitante. Fitinhas trazidas da Bahia, pulseiras coloridas de borracha, pingentes energéticos estão no mesmo nível de ridículo que os anéis de virgindade que algumas seitas propagam entre seus seguidores. Mas claro, pulseiras de silicone com “hologramas energéticos” são bem mais cool do que uma jequice como um anel de virgindade. Pulseiras energéticas (sic) são usadas por esportistas radicais, moçada, uhu!

A estupidez avança a passos largos. Talvez seja culpa da internet e da televisão, mas eu nasci nos anos setenta, e vi muita gente tonga através da minha passagem pelos anos oitenta e noventa. O século vinte e um não chega a ser especial, exceto pela expectativa de algumas pessoas de que teríamos adentrado uma era um pouco mais inteligente. Vã ilusão.

Entretanto, talvez não houvesse tanta gente formada fazendo estes papelões. Eu digo, portadores de diploma universitário. É de dar vergonha para a instituição. Ainda mais porque eu vi um professor usando uma dessas pulseiras. E demonstrações em público, minha gente, é muita vergonha alheia. Virei o rosto, olhei para a noite bonita pela janela, tentei abstrair, transportar minha mente para outro lugar, mas estava ali, do meu lado, um monumento à credulidade humana!

Quando eu era moleque, eu era fã do Superpateta. Eu confesso que não gostava da calça de pijama com aquela abertura traseira para evacuações, algo que, mais tarde, ouvi falarem ser um costume entre nossos irmãos gaúchos. Quando criança, eu costumava colocar algum pano xexelento no pescoço, e pular de alguma escada ou de algum barranco, não sem antes ingerir um amendoim como os do heróico e incompreendido personagem da Disney. Naquela tenra idade, eu não acreditava que realmente adquiria super-poderes, eu apenas me divertia, estabelecendo divertimentos saudáveis que formariam a personalidade peculiar que agora demonstro.

Olho para estas pulseiras de silicone, e presumo que elas sejam o equivalente para marmanjos de um daqueles relógios do Ben 10, conforme eu já vi em alguma prateleira por aí. O mais interessante é que a molecada não leva tamanha estultice a sério; os adultos, estes sim, engolem a pílula, e se lançam ao exercício do vergonhoso. Li em algum lugar sobre a tendência que as pessoas têm, com a proximidade da morte, de se agarrarem a crenças. Talvez seja isso. Mas precisava ser ser uma crença tão idiota? E tão cara, mais de cem pilas!

Até o presente momento, o único poder que testemunhei destas pulseiras foi o da transformação de cidadãos normais perfeitos goiabões. Sim, é auto-engano: as vítimas provavelmente já demonstravam tendências ao deslumbramento abobado antes, e as tais pulseiras só vieram dar forma a tais tendências. Hope I die before I get so stupid.

imagem auto-explicativa. caso seja necessário que eu desenhe, entre em contato através da área de comentários.

Dica do colega Franzen, sempre atento às novas tendências.

Single Post Navigation

33 thoughts on “PowerBalance!

  1. Jones on said:

    “Fico curioso, presto atenção. Afinal, posso estar diante de uma demonstração de super-poderes! ”
    Riso 1 – Hehehe e eu achando que só eu é que pensava dessa forma! Mente criativa Mundo de Bob fucking rulez!
    Riso 2 – Ou então, caso a linha tenha sido de sarcasmo, (WTF esses muleques tão fazendo no meio da aula? Invocando algum poder X-Men?) muito bom do mesmo jeito!

    Superpateta… qual era o grito de transformação dele? Trá-lá´-lá!!
    Curtia muito os quadrinhos da Abril também.

    ” Olho para estas pulseiras de silicone, e presumo que elas sejam o equivalente para marmanjos de um daqueles relógios do Ben 10″
    Hehehe

    Barrichello auto-explicativo… hehe, ri muito também.

    “Artefatos desta natureza são bem populares entre pessoas de credulidade hesitante”!
    hehehe

    • Jones on said:

      Mas uma coisa é muito certa em se perguntar:

      Gilvan, experimentou a pulseira ou não?

      Uma coisa é criticar conhecendo os efeitos eoutra é criticar no olhar (coisa que nós rabugentos adoramos fazer).

      Eu também acredito no Deus interior, na força mental etc…

      Mas e se realmente essa pulseira facilitar o foco no tal equilíbrio?

      E se realmente ela cumprir a função de te tornar “um mestre zen” sem precisar estar meditando para atingir o equilíbrio máximo?

      Como nunca vi uma pulseira dessas, a dúvida ainda paira no ar…

      • gilvas on said:

        cara, eu não testei. mas um pessoal na espanha testou, e processou feio o fabricante das tais pulseiras. a notícia se espalhou, e as pessoas, inocentes, tadinhas, foram informadas de que um pedaço de borracha com um desenho holográfico não tinha o poder de aumentar o equilíbrio do usuário, mas apenas a conta bancária do cara que vendia a parada.

  2. Ian on said:

    Simplesmente aceite as coisas como são, man: estás na pós-modernidade, com suas modinhas imbecis (correntinhas de prata, nike shox, neo-esquerdismo, veganismo, bonés de aba reta). Não estás mais nos saudosos anos 80 e 90 com o teu Superpateta.

    ‘bração!

  3. Dae Gilvas! hehehe
    Não sabia que tinhas um blog….bem interessante…
    Concordo plenamente contigo sobre essas pulseiras…já até tentaram fazer um teste similar comigo, mas era uma “paumilha energizada” vixi….fiz o teste por amizada a pessoa hhahahaahahaa….
    Grande abraço…ganhasse mais um frequentador do seu blog…

  4. Alexandre on said:

    Gilvan, o principal argumento pra não comprar: ela é HORRENDA!

    Mas pra quem achar que compensa usar algo tão feio no pulso.. é só escolher entre os modelos überfashion dessa promoção:
    http://www.horabarata.com.br/team.php?id=59

    Como eu não ando caindo por aí, vou esperar ficar velhinho, q daí ela passa a ter algum utilidade. ;-)

  5. a curiosidade matou o gato.

  6. Privado on said:

    Gilva só tenho uma coisa a dizer a vc vc é tudo aquilo q vc xingou nesse post…
    Se vc não acredita q o Power Balance funciona, foda-se…
    Agora vc não tem o direito de xingar qm usa…

  7. nanda on said:

    ah! quase esqueci de comentar!
    voce nao devia mais começar posts dizendo que é uma pessoa rabugenta. fica redundante, sabe..

    huhu brincadeira!

  8. nanda on said:

    funcionando ou nao, a Paula devia comprar.
    sabia que ela rolou escada abaixo no 1007? foi antes daquilo virar um jardim de infancia, eu ainda tava vagando por Floripa… e aposto que com a pulserinha ela nao caia mais!

    beijos.

    • gilvas on said:

      de uns tempos para cá, no lugar em questão, a paula correria o risco de ser empurrada na escada, ela nem precisaria cair sozinha.

  9. marcelo de almeida on said:

    Quando cheguei na Faculdade ,isso no primeiro dia um cidadao me pediu para fazer um resumo do livro”O Monge eo Executivo” Nunca mais voltei naquele lugar !!!PS tu vai no show do massive attack em BH ???Abraços!!

    • gilvas on said:

      estou pensando seriamente em ir no show do white lies. só. por este ano. 2011 é outro ano. isso.

  10. marcelo de almeida on said:

    Enquanto isso, vou ali comprar um carnê do baú !!!

  11. milene on said:

    Este post poderia ser ramificado em outros diversos textos interessantes. É até difícil de comentar porque ele gera múltiplas reflexões ao leitor, hehe.
    Preciso perguntar: tu experimentaste a pulseira?
    Semana passada um colega trouxe e estava testando com todo mundo. Eu fiz questão de usar porque eu queria muito dizer que aquilo era bobagem, psicológico, farsa sei lá. Mas fiquei extremamente desapontada quando eu testei várias vezes e sempre que eu colocava essa bagaça no pulso, ficava equilibrada e não caía com a puxada dele. Pedi pra outras pessoas puxarem, repeti, inverti a ordem, fiz uma baita força e fiquei indignada com o resultado.

    Sempre fui bem cética, mas há algum tempo comecei a me perguntar porque tenho que glorificar tanto a “ciência oficial”, essa ciência que um dia diz uma coisa, outro diz o contrário. Que num dia fala mal de plantas e noutro sai estampado em capas de revista “a ciência descobre propriedades medicinais em sei lá eu que chá”. Falou algo que certamente alguns camponeses baseados no empirismo informal já haviam dito há séculos.
    Com isso também não quero dizer que ela é uma farsa, só quero dizer que apesar das muitas descobertas e conhecimento, ela também erra, tropeça, fala e faz merda (falando assim, de forma bem simplista pra não me estender muito). Em minha opinião, ciência é conhecimento, experiência, aprendizado e não só a ciência “oficial” fornece isso.

    Sei que a globo não é parâmetro, mas fizeram uma pesquisa superficial sobre essa pulseira, e não se pode comprovar nada cientificamente: http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL1003466-15605,00-PULSEIRA+DO+EQUILIBRIO+E+DESVENDADA.html . Precisariam estudar mais e tal. Talvez meu cérebro tenha me pregado uma peça filha da puta, fazendo eu inconscientemente acreditar em algo que eu queria muito desmistificar… vai entender???!

    Mas acho arrogante do ser humano pensar que pode conhecer e saber sobre tudo. Por que não poderia haver uma explicação lógica, mas que nós não temos inteligência suficiente para entender e explicar? E por favor, não ache que estou falando sobre coisas sobrenaturais ou espirituais, rsrs. Só acho que pode haver alguma explicação que a nossa lógica e inteligência ainda não permite compreender.

    Fique claro que não estou defendendo esse troço, por mais que isso tenha me deixado com interrogações, eu nunca compraria. Mesmo que haja uma explicação e ele realmente melhore o equilíbrio (e não tenha sido somente meu cérebro me enganando, rsrs), não acho que seja realmente efetivo de forma mais geral.

    • gilvas on said:

      uma explicação para o efeito desta pulseira é bem simples: auto-sugestão. em certos treinos de aikidô, treinamos alternando o corpo relaxado e o corpo tenso. o relaxamento quase sempre produz ótimos resultados: as movimentações ficam muito mais efetivas, e é difícil conter um corpo relaxado, dado que ele se aproxima da característica da água, que sempre dá um jeito de chegar onde “quer” chegar. peguemos um exemplo de dentro de casa: levante um dos teus gatos enquanto ele está relaxado. parece que pesa muito mais do que os quatro, cinco quilos de massa que tem, non? a pulseira tem um efeito de focar nossas energias conscientes em certo ponto ou em certo movimento que estamos fazendo. este é o princípio de quase todo talismã, na verdade. o que me encafifa com a tal da pulseira é que as pessoas acreditam na pulseira quando deveriam acreditar em si mesmas. o poder é da pessoa, e não de uma pulseira ridícula de cento e poucos reais. isto pode ser reflexo de uma sociedade onde a maioria cresceu enxergando deus do lado de fora de si. é uma sociedade que necessita de subterfúgios para efetivar seu potencial. tem dias em que eu fico imaginando onde estaríamos se acreditássemos em nosso potencial e soubéssemos nos relacionar adequadamente com nosso planeta e com as criaturas que vivem nele.

  12. Grande GT

    Seus devaneios inteligentes só me fazem crer que realmente este planeta já acabou e ninguém sabe como descer da nave mãe. Vivemos uma idade média digital…..
    Agora, como gaúcho, posso lhe dizer que nos meus picapes anos (4×4) nunca ouvi falar de calças estilo pateta no Rio Grande.
    Talvez as ciroulas…..
    Grande abraço!

    • gilvas on said:

      grande demetrius! a referência das calças do superpateta com o universo gaudério era um chiste pueril, devido à abertura traseira, que, dizem, também é usada em pilchas de festa. ceroulas são populares, por outro lado, estão presentes em todo o planalto catarinense. abraço!

  13. hahaha, to rindo tanto!

    gilva, confesso: assino embaixo do que vc fala, mas não toco mais no assunto em público. Tem muita gente que eu gosto que acredita nessas bobagens. E eu viro o supervilão por dar risada da crença delas… :-(

    sabe um episódio que me deixou com o máximo de vergonha-alheia que já senti na vida? observar pessoas sinceramente tocadas com a aparição da santa da janela. Não sei se você lembra. Era uma mancha de limpa-vidro numa casa em Osasco, aqui em sp.

    • gilvas on said:

      felizmente as pessoas me enxergam como uma espécie de darth vader piadista sem a faceta da ameaça de danos físicos, então posso falar o que eu quiser.

      sim, eu lembro do episódio da santa de osasco, foi patético. tanto que logo em seguida rolou até de o michael jackson aparecer numa outra janela, haha!

      • e ontem vi um pedacinho do programa do Jô e tava o Milton Nascimento. Adivinha o que ele tinha no pulso esquerdo? :-D

      • gilvas on said:

        putz, mas no pulso esquerdo pode? tipo, as energias tridimensionais não vão desviar pelo óctuplo imagético de terceira dimensão pelo quadrante panacológico com florais de chopin? este pessoal tem de absorver melhor as vibrações empíricas dos gurus hermenêuticos em transcendência heterodoxa, pois o tranta universal se manifesta pelo poder da simetria antropocariôntica.

        cara, o milton nascimento era feio. depois ficou velho. agora está gagá. porra, não deve conseguir comer mais ninguém!

  14. Vinicius on said:

    Mas mas… o Shaquile O’Neal usa =/

    Ontem tava comentando com o pessoal aqui no trampo e a unica coisa que eu conseguia pensar e’ “Por que diabos eu nao pensei nisso antes???”

    Uma dessas pulseiras deve custar U$0.05 pra fabricar, e vendem aqui por U$60.00. Nada mal.

    • gilvas on said:

      perdeu de se tornar o grande milionário da vez! e de ir para o inferno por enganar um bando de otários que seria enganado por algum outro safado de qualquer forma.

  15. juliana on said:

    Graças a mim eu nunca vi essa pulseira do Ben 10 de 100 reais…
    (Sobre crendices eu não vou comentar porque sou sempre enxovalhada.)

    • gilvas on said:

      tiveste sorte: o povo de ti cai de pulso nessas pulseiras. deve ter toda uma rede de tráfico de pulseiras aí no teu trampo.

      e, pou, comentaí sobre as crendices. eu prometo que não te enxovalho. se bem que eu gostaria de ser conhecido como “gilvas segundo, o enxovalhador”.

  16. Não defendendo o outro lado, mas discordo da opinião do chapa acima. O cara ser formado em direito, por exemplo, e ter sua crença não tem nada a ver uma coisa com a outra. O problema é o cara ser biólogo e cristão. Aí a ciência entra em choque com a crença.

    Agora, o cara ter uma formação e acreditar que a pulserinha vai fazê-lo voar pela janela, bem, já é um pouco demais.

    P.S.: eu tb usava panos xexelentos e tentava voar – testava no chão, óbvio, sabia que tentar de cara na janela daria errado. Posso ser louco, mas não burro.

  17. Jux on said:

    “Artefatos desta natureza são bem populares entre pessoas de credulidade hesitante”! Só uma pérola dessas para me fazer rachar o bico em plena quinta feira!

  18. Guto on said:

    Gilvas.. Muito boa.. Eu tinha ouvido falar dessas pulseiras, mas precisava de uma opiniao “neutra” com relacao a isso. :)
    Agora entendi o verdadeiro poder.

  19. cara, isso não é nada, ou quase nada, se comparado com o discurso cristão vomitado por aí em entrevistas em jornais, revistas e tvs por médicos, psicólogos, advogados, jornalistas, políticos. profissionais que ao menos teoricamente deveriam olhar para o mundo com algum distanciamento crítico. diploma universitário no brasil, hoje, é na maior parte das vezes conseguido naquelas “estácio de sá da vida” – com professores sem muito preparo e alunos que não leem. não é a toa que encontramos gente distribuindo panfletos de venda de trabalhos acadêmicos no centro da cidade (na maior cara de pau). infelizmente, esse caminho, que estamos trilhando hoje, de “nivelar por baixo”, é quase inevitável em um país de iletrados como o nosso… pior para a nossa geração, que provavelmente não colherá os louros do que poderá vir a ser o brasil – espero.

    como diz a letra do sérgio sampaio: “não há nada mais bonito do que ser independente / não há nada mais sozinho do que ser inteligente”.

  20. Ana on said:

    Fitinha colorida da Bahia é bonitinha. Beijo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.004 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: