Arquivo do mês: janeiro 2005

Constatações Tardias

1. As poesias coladas às janelas de ônibus no Sul da Ilha são absurdamente ruins. Eu até relevava a mediocridade por um senso interior de que a alegria da divulgação deve ser permitida aos néscios, e guardava meus olhos para … Continuar lendo

Publicado em Filosofia de Boteco, Mau Humor | 1 Comentário

Gabriele Salvatores: Io Non Ho Paura

Io Non Ho Paura é uma das mais gratas surpresas deste janeiro, ralo de filmes no CIC, como de praxe. O tema de onde parte a diretora Gabriele Salvatores é pouco prolífico: o seqüestro do filho de uma família abastada … Continuar lendo

Publicado em Cinema Europeu | 1 Comentário

Novela das Oito

Dois blocos da novela das oito, e, diabos, aquilo é tão ruim que eu desenvolvi uma teoria. O cara que escreve aquela naba deve ser um subversivo perigoso, ou não estaria colocando diálogos tão estúpidos no horário nobre da rede … Continuar lendo

Publicado em Bobagens | 2 Comentários

Cruxshadows: Fortress In Flames

A banda americana Crüxshadows, à primeira vista e visualmente, parece uma emulação tardia do finado Information Society; o vocalista tem uma cachopa que anaboliza o estilo Bob Smith baseado no binômio gel e sabão, o programador dos cacarecos eletrônicos é modernoso, mas não esconde … Continuar lendo

Publicado em Eletronices | Deixe um comentário

João Moreira Salles: Entreatos

Torcer o nariz é minha reação natural à atual popularidade dos documentários no Brasil. Ainda não encontrei um caminho de entrada para este universo paralelo, a meu ver, ao universo muito mais rico do cinema ficcional. E não vai ser … Continuar lendo

Publicado em Cinema Mercosul | 1 Comentário

Um Trecho

Uma das versões mais antigas de “A Bela e A Fera”, contada em latim por Apuleio em algum momento do século II da era cristã, é a história de uma princesa que recebeu ordem de um oráculo para se tornar … Continuar lendo

Publicado em Literatura | 1 Comentário

Menos

Dirigindo, dias atrás, me peguei fazendo uma retrospectiva do ano que passou. Sou pouco dado a reflexões num período tão largo, uma vez que minha memória não é exatamente confiável para armazenar dados de percepção subjetiva. Ainda assim, eu estava … Continuar lendo

Publicado em Filosofia de Boteco | 1 Comentário