Luís Fernando Veríssimo: Borges e os Orangotangos Eternos

verissimoborges

A coleção Literatura ou Morte, até onde me lembro, propunha-se a criar obras onde um escritor brasileiro escreveria homenageando outro escritor, brasileiro ou não. Na época do lançamento eu não me comovi muito pela proposta, embora tivesse ficado de olho neste Borges e os Orangotangos Eternos, onde Luís Fernando Veríssimo se propõe a emular o estilo e os cacoetes encontrados nos pontos de intersecção entre Poe e Borges. Continuar lendo

Publicado em Literatura | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Thanos: Dolorosamente Real

thanosmorte

Thanos é um personagem da Marvel que já apareceu de relance no filme dos Vingadores. Ele faz parte de epopeias cósmicas da editora e sempre achei sua motivação principal um tanto ridícula. Thanos é apaixonado pela Morte e, para agradá-la, vive planejando mortandades em proporções galácticas. Entretanto, minha experiência de vida não raro me proporciona meios de repensar meus conceitos e meus preconceitos, e hoje me ocorreu que Thanos não é, enfim, tão desprovido de verossimilhança. Continuar lendo

Publicado em Filosofia de Boteco, Quadrinhos | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Cliver Barker: Abarat

AbaratBarker

Abarat é uma série de livros de fantasia, escritos e ilustrados por Clive Barker. Estão previstos cinco livros, dos quais três já foram lançados. Continuar lendo

Publicado em Literatura | Marcado com , , | 1 Comentário

Chuck Palahniuk: Condenada & Maldita

palahniukcondenadamaldita

Fui matar meu jejum de Chuck Palahniuk anos após ter lido o obrigatório Clube da Luta e encontrei mais do mesmo. Isto é bom? Ainda não tenho certeza. Continuar lendo

Publicado em Literatura, Uncategorized | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Enrique Vila-Matas: A Viagem Vertical

viagemvertical

Com Vila-Matas nada foi fácil. Continuar lendo

Publicado em Literatura | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

Graham Greene: O Poder e A Glória

podergloria

O Poder e a Gloria se passa na época em que a revolução dos Camisas Vermelhas agitava o país. O mote principal é a perseguição que o governo empreendeu aos religiosos então. Como de praxe em Greene, a questão é analisada do ponto de vista mais humano e pessoal possível; as personagens são mostradas de rosto colado ao do leitor, é difícil escapar do confronto. Continuar lendo

Publicado em Literatura | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Assassinos do Bem

PIB

Sou uma pessoa de hábitos simples. Um deles é ler enquanto almoço. Preciso apenas de um pedaço de mesa e não me importo com os ruídos ao redor. Exceto quando estou cercado de idiotas, como foi o caso hoje. Sentaram ao meu lado, depois de eu já haver iniciado minha refeição, cinco exemplares do lamentável Perfeito Idiota Brasileiro (PIB). Camisas polo de marca daquelas que liquidam constantemente em Miami ou em qualquer outlet de subúrbio, semblante bem barbeado nos idiotas do sexo masculino, cabelos cortados ao estilo Almeidinha. Continuar lendo

Publicado em Filosofia de Boteco | Marcado com , , , , | 2 Comentários