Jon Krakauer: Where Men Win Glory

Este livro contém trechos onde se apresentam sérias restrições às ideias de Francis Fukuyama. São trechos curtos, mas se referem aos pontos cruciais onde o autor discute a modelagem de seu protagonista, Pat Tillman, contrapondo os ideais masculinos de Frederico, o Nietszche, e do inacreditável macho amolecido pela democracia ocidental de Fukuyama. As considerações de […]

John Kenneth Galbraith: O Novo Estado Industrial

Todo mundo tem um amigo ou um colega que acha inevitável que o mundo seja como é. Eu não diria que todo conservador pensa assim, então eu diria que este tipo seria um conservador do tipo fatalista. O conservador fatalista considera o status quo imutável; sua imobilidade social embasa este seu pensamento. Ele vai para […]

Haruki Murakami: Minha Querida Sputnik

Desde o princípio desconfiei que este romance do Murakami me deixaria cedo demais. Suas duzentas páginas, no entanto, são a duração perfeita ao que propõe o escritor japonês. Uma história de amor em sua camada externa, Minha Querida Sputnik em sua essência flagra o processo de auto-descoberta empreendido por seu protagonista. Ainda que possa ser […]

Joseph Heller: A Hora Final

A preguiça enseja o retorno do passado na forma de cacoetes. Isto é especialmente verdade quando se trata de Joseph Heller em A Hora Final. Ainda que eu não tenha lido Ardil 22, o livro pelo qual Heller é lembrado e do qual o volume atual é continuação, minha experiência com outros romances do autor […]

Arthur C. Clarke: A Cidade e As Estrelas

A Cidade e As Estrelas é um dos primeiros romances de Arthur C. Clarke. O escritor detalhista que estava por vir ainda tateava cuidadosamente o espaço em busca de perguntas válidas e respostas plausíveis. O cenário é adequado: a um bilhão de anos no futuro, a humanidade é um cadinho de imprevisibilidades que deixa o […]

Eduardo Giannetti: Felicidade

“Felicidade” é uma palavra popular. Rima com “saudade” em músicas de rádio. Faz saltarem imagens mentais de pandas abraçando crianças fofas. Ou propaganda de margarina. Sim, há quem evoque propaganda de margarina quando a palavra de gatilho é “felicidade”. Felicidade é algo que fatalmente vem à baila durante aquela conversa algo etílica que se tem […]