Arquivo do mês: junho 2003

29.06.2003 Tangos e Tragédias

Apesar dos dezoito anos em cartaz, eu nunca tinha assistido ao famoso espetáculo destes gaúchos da Sbórnia. Como pode supor alguém que se depare com este nome, as peripécias dos meninos são baseadas em doses pesadas de ironia, e um … Continuar lendo

Publicado em Teatro | Marcado com , , , | 2 Comentários

Mutley, um cachorro.

Existem duas formas de encarar uma trilha. A primeira é seguir os caminhos marcados, como ovelhas obedientes. A segunda envolve mais ousadia, a característica que diferencia os homens dos roedores sujos e lamacentos que habitam o subsolo das metrópoles. Como expoentes … Continuar lendo

Publicado em On The Road | 4 Comentários

Cinismo

Sei que estou ficando mais velho, e, consequentemente, mais chato, mas ainda acho válido apontar o cinismo dos meios tecnológicos. A tecnologia sempre foi regida pela máxima de “encontrar soluções para problemas que ainda não existiam”, embora apenas uma parcela … Continuar lendo

Publicado em Filosofia de Boteco, Mau Humor | Marcado com , , | 1 Comentário

Sinais Inequívocos de que o Fim se Aproxima

A Terra passa por momentos difíceis, apresentando níveis grotescos de bizarrice. Não demora, e alguma civilização de algum planeta com noção de limites para o mau gosto nos varrerá da Via Láctea. Eu estive observando alguns sinais dias atrás, nas … Continuar lendo

Publicado em Mau Humor | 4 Comentários

Um inglês escocês

Lloyd Cole, volta e meia, retorna ao meu tocador de discos brilhantes. Brilhantes em ambos os sentidos. Ele foi para a Escócia em meados dos anos oitenta, e se juntou com um pessoal de lá. Eles ganharam o gracioso nome … Continuar lendo

Publicado em Música | 3 Comentários

Farrely Brothers: Me Myself and Irene

Depois de muito tempo, fui assistir a este filme. Considero-o interessante apenas pela constatação de que o mau gosto não tem exatamente um limite. Faz-se necessário um estômago forte para seguir as peripécias do policial Charlie e seu alter ego … Continuar lendo

Publicado em Cinema Gringo | Deixe um comentário

Até logo, Faulkner

Termino de ler este romance, e estou ainda envolto nos rumores e nos acontecimentos que permeiam suas linhas irregulares. A caminho da última página, pela voz de Cash, eu já estou receoso de que a convivência com a família Bundren … Continuar lendo

Publicado em Literatura | Marcado com , , | 2 Comentários