Arquivo da categoria: Filosofia de Boteco

Assassinos do Bem

Sou uma pessoa de hábitos simples. Um deles é ler enquanto almoço. Preciso apenas de um pedaço de mesa e não me importo com os ruídos ao redor. Exceto quando estou cercado de idiotas, como foi o caso hoje. Sentaram … Continuar lendo

Publicado em Filosofia de Boteco | Marcado com , , , , | 2 Comentários

Famintos e Furiosos

Eu já pedi muita comida pelo telefone. Pizza, China in Box, japonesa daquela que tem câmera online mostrando o cara preparando seus enroladinhos, comida italiana, mais pizza, provavelmente pizza foi o que mais pedi pelo telefone. Eu não cheguei a … Continuar lendo

Publicado em Filosofia de Boteco | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

A guerra de sempre

Passei algumas semanas me horrorizando com o quão longe o ser humano pode ir quando se tratar de odiar. Foram algumas centenas de páginas de Niall Ferguson descrevendo e comentando o horror das guerras que atravessaram o século XX. A … Continuar lendo

Publicado em Filosofia de Boteco | Marcado com , , , | Deixe um comentário

O Carma é Forte

Durante a semana que passou a sociedade brasileira foi informada pela polícia federal de que há irregularidades preocupantes na indústria da carne. Reações diversas e geralmente disparatadas foram disparadas. O povão alienado tenta se alinhar com o ídolo Tony Ramos, … Continuar lendo

Publicado em Filosofia de Boteco | Marcado com , , , , , , , | 2 Comentários

Eu gosto mais

Um dia me ocorreu que eu me amo. Eu realmente gosto do cara que eu venho tentando me tornar. Eu gosto especialmente do processo pelo qual estou passando para chegar em mim mesmo. Perceber isso veio de um dia para … Continuar lendo

Publicado em Filosofia de Boteco | Marcado com , , | Deixe um comentário

Roland Barthes: A Câmara Clara

Barthes não é um cara fácil e isso não é novidade. A Câmara Clara é um ensaio sobre fotografia onde o filósfo se debruça sobre como esta se qualifica como arte. Devo ter captado metade do que o ultra-ilustrado Barthes … Continuar lendo

Publicado em Filosofia de Boteco, Literatura | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Michael Sandel: Justiça

O discurso dos botecos não raro desemboca em alguma variação da declaração libertária cujo conteúdo poderia ser resumido na frase “tudo é permitido desde que não esteja ferindo o direito dos outros”.

Publicado em Filosofia de Boteco, Literatura | Marcado com , , | Deixe um comentário